Espaço de debate de temas de Economia Portuguesa e de outros que com esta se relacionam, numa perspectiva de desenvolvimento

sexta-feira, fevereiro 01, 2008

"Continental investe 50 milhões em Famalicão"

«A Continental, fornecedora da indústria automóvel, vai investir 50 milhões de euros na sua fábrica de pneus em Lousado, Famalicão, aumentando a produtividade da unidade. Com este investimento, o grupo alemão espera atingir um aumento de produção de cerca de dois milhões de pneus anuais.
A empresa, que prevê o aumento de produção na gama UHP (muito alta performance), vai criar 40 postos de trabalho na unidade portuguesa.
O projecto encontra-se em apreciação junto da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) para a atribuição de apoios financeiros, mas o optimismo no seio da fábrica portuguesa é grande. António Lopes Seabra, presidente da Continental Mabor, refere que a unidade "goza de uma boa imagem junto da sede", sendo considerada a "fábrica mais eficiente do grupo". A decisão final do investimento será tomada em Março.
O novo investimento deverá arrancar durante o próximo Verão. Com esta iniciativa, António Lopes Seabra prevê que, em 2010, o volume de negócios da Continental Mabor ascenda a 600 milhões de euros. Em 2007, a empresa registou um volume de vendas na ordem dos 474 milhões de euros, mais 30 milhões face a 2006, ano em que os lucros totalizaram 92,9 milhões de euros.
Entre 2005 e 2006, a fábrica de Famalicão recebeu investimentos de cerca de 45 milhões de euros, na expansão e modernização da unidade, que emprega mais de 1500 pessoas.
O ano passado, a unidade fabricou 15,3 milhões de pneus, e cerca de 98% da produção teve por destino a exportação. Cerca de 42% dos pneus produzidos na fábrica portuguesa destinaram-se às linhas de montagem das principais marcas de automóveis, entre as quais a fábrica da Autoeuropa, em Palmela.
O Grupo Continental AG encontra-se entre os cinco maiores fornecedores da indústria automóvel, empregando a nível mundial mais de 150 mil pessoas, com unidades de negócio em 200 locais. O grupo alemão possui fábricas em 36 países e o volume de negócios ronda os 25 mil milhões de euros.»
Leonor Matias

(notícia do Diário Notícias de 30-01-2008, com o título indicado em epígrafe)

2 comentários:

ecfamalic disse...

O concelho de Vila Nova de Famalicão possui um tecido industrial, que aposta na reconversão tecnológica, apoiada por instituições de investigação científica, pela permanente capacidade inovadora da classe empresarial, Vila Nova de Famalicão apresenta uma intensa actividade nos sectores como o têxtil e o vestuário, as carnes e a alimentação, a electrónica e a metalomecânica, a construção civil e os serviços são exemplos significativos do dinamismo empresarial do concelho e que marcam a evolução económica da região.
ecfamalic.com

Eduardo Santos Carneiro disse...

Famalicão - História
A partir de meados do século XIX, depois da refundação do concelho e com a abertura da estrada Porto - Braga em 1875, Famalicão entra numa fase de grande desenvolvimento. Constroiem-se edíficios públicos, como o Hospital da Misericordia (1878), e os Paços do Concelho em 1881 e erguem-se "edíficios particulares luxuosos",com capitais vindos do Brasil, de que é exemplo o "Palacete do Barão da Trovisqueira".
É nessa época que começam a instalar-se na vila e no concelho, fábricas e oficinas, são os casos da fábrica de relógios "A Boa Reguladora" em 1895, da Tipografia Minerva em 1886 e das fábricas texteis em Riba de Ave - Famalicão
Eduardo Santos Carneiro