Espaço de debate de temas de Economia Portuguesa e de outros que com esta se relacionam, numa perspectiva de desenvolvimento

sexta-feira, novembro 10, 2006

Destaques noticiosos do fim-de-semana

Indicador avançado da OCDE para Portugal sugere abrandamento futuro [http://www.jornaldenegocios.pt/default.asp?SqlPage=Content_Economia&CpContentId=285582] (10-11-06, in Jornal de Negócios)
«O indicador avançado da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económicos (OCDE) relativo a Portugal, sugere em Setembro uma tendência de abrandamento futuro da economia portuguesa.»
/...
"É dramaticamente urgente" a internacionalização das empresas portuguesas [http://www.jornaldenegocios.pt/default.asp?SqlPage=Content_Economia&CpContentId=285585] (10-11-06, in Jornal de Negócios)
«O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso afirmou hoje que "é dramaticamente urgente que as empresas portuguesas compreendam que só com o mercado nacional não vão lá". »

3 comentários:

Bernadette Cunha disse...

Tanto se tem falado na importância das expectativas dos agentes económicos e, no entanto, cada vez que a economia necessita que elas sejam expansionistas e que levem os agentes económicos a ter este tipo de comportamento, vem uma notícia, um dado ou um comentário que deita por terra essa ambição, como foi o caso da notícia dos indicadores da OCDE para Portugal.

Nesse sentido, e muito bem, Durão Barroso tende a acalmar e evitar as consequências de tal notícia nas expectativas dos agentes económicos dando-lhes um objectivo bem concreto – A internacionalização das empresas portuguesas – propondo a Portugal um mercado cada vez maior e possivel escoador de produtos nacionais.

É necessário apostar em industrias cada vez mais técnicas e sofisticadas, pois com a liberalização dos mercados e a intensificação das trocas comerciais, o que pervalece é a diferenciação e qualidade dos produtos e serviços.

Alvaro Ferreira disse...

No seguimento do comentário da bernardette, no qual estou completamente de acordo, gostava apenas de acrescentar dois pontos de debate.
Da primeira notícia comentada, em que os indicadores da OCDE dão conta de uma tendência de abrandamento futuro da economia portuguesa, a questão que proponho é: Será que o governo está implementar medidas com vista a contrariar estes factos? No meu ponto de vista, a proposta de Orçamento de Estado é o melhor exemplo da estratégia do Governo. Embora seja um orçamento realista em função da conjuntura nacional não dá aos privados sinais positivos para o investimento. Muito pelo contrário, é um orçamento contracionista no sector do estado, que retrai as expectativas dos agentes económicos privados.
Da notícia sobre a internacionalização das empresas portuguesas, a questão que proponho é: Será que a União Europeia não deveria apoiar mais o nosso país nas áreas de Investigação e Desenvolvimento? Talvez pareça estar a “fugir” ao assunto abordado mas Portugal para se internacionalizar tem de dedicar a indústrias com um grau tecnológico elevado. Nesse âmbito, só com um forte investimento nas áreas propostas (Investigação e Desenvolvimento) é que podemos superar esta fase de transição. Muito embora tenha de ser acompanhada de um bom programa de transmissão de conhecimento das Universidades para as Empresas. Logo, quando Durão Barroso tenta recompor as expectativas através da criação de um objectivo, ele deveria acompanhar esta declaração importante com medidas no âmbito da sua esfera de decisão para impulsionar economias que estejam numa fase de transição.

S-Girl disse...

Economia mantém sinais favoráveis pelo décimo mês consecutivo

A economia portuguesa voltou a dar sinais de melhoria em Outubro, completando dez meses consecutivos de recuperação, de acordo com o indicador coincidente hoje divulgado pelo Banco de Portugal.

in Público, 17/06/06

Fátima Couto(40319)