Espaço de debate de temas de Economia Portuguesa e de outros que com esta se relacionam, numa perspectiva de desenvolvimento

sábado, dezembro 02, 2006

Destaques noticiosos do fim-de-semana

BCE sobe os juros para máximo de cinco anos na quinta-feira [http://www.jornaldenegocios.pt/default.asp?SqlPage=Content_Economia&CpContentId=286772] (02-12-06, in Jornal de Negócios)
«Na última reunião antes do Natal, o Banco Central Europeu não tem a “prenda” mais indicada para dar aos europeus. É que o mercado dá como certa uma nova subida de 25 pontos base nas taxas de juro da Zona Euro, um movimento que colocará o preço do dinheiro no nível mais elevado desde Novembro de 2001.»
/...
Euro atinge máximo desde Março de 2005 com abrandamento nos EUA [http://www.jornaldenegocios.pt/default.asp?SqlPage=Content_Mercados&CpContentId=286773] (01-12-06, in Jornal de Negócios)
«O euro atingiu hoje um novo máximo face ao dólar, acima dos 1,33 dólares, depois de ter sido revelado mais um indicador económico que confirma o abrandamento na maior economia do mundo.»

6 comentários:

Alvaro Ferreira disse...

Na minha opinião esta nova subida na taxa de juro de referência vai ter consequências muito negativas para a economia nacional. Com especial destaque, as famílias vão ser as mais afectadas devido ao elevado nível de endividamento a que se sujeitaram. Para ultrapassar esta situação vão ser forçados a mais um esforço adicional que vai diminuir ainda mais o seu poder de compra.
Este cenário macroeconómico vai levar a que a espiral de endividamento, em Portugal, tenha uma quebra e que o sector Bancário atingido pelo crédito mal parado seja o principal agente desta mudança.
Embora a subida da taxa de juro não seja responsável directa pela demora da retoma económica, influencia as expectativas dos agentes. E com expectativas baixas o clima económico tem tendência a estagnar.
As condições monetárias, dentro da Zona Euro, são iguais mas devido às conjunturas individuais diferentes vai levara dinâmicas económicas absolutamente distintas. Nesse sentido, o Banco Central Europeu não deveria ter como único objectivo a estabilidade dos preços e dar mais atenção ao crescimento económico. Que em países, como Portugal, demora a dar sinais positivos.

José Manuel A.Costa disse...

É certo que uma nova subida das taxas de juro pode ser má para a maioria das pessoas, fruto do grande endividamento contraído. Porém, analisando de um ponto de vista mais frio e menos social, podemos constatar que as subidas constantes na taxa de juro pelo BCE devem-se (talvez) ao facto de a economia da Zona Euro estar a crescer a um ritmo muito veloz, com uma grande aceleração do crédito e uma liquidez elevada. Isto traduz-se numa política expansionista, e o BCE diz que esta tendência só poderá ser alterada com a subida das taxas de juro.
No que respeita à cotação do euro face ao dólar, podemos observar um duplo sentido. Por um lado, a subida do Euro pode ser benéfica para nós já que na Europa se prevêem subidas nas taxas de juro mas, por outro lado, a contracção da indústria americana pode, mais tarde, levar a uma diminuição dos preços dos seus produtos, ou seja, os produtos americanos ficam mais competitivos, o que pode prejudicar a comercialização dos produtos da Zona Euro.

Bernadette Cunha disse...

Realmente, esta subida da taxa de juro não vem em boa hora para os agentes económicos devedores.
Nós, portugueses, que tanto prezamos esta quadra natalícia acompanhada de festejos, aumentamos o consumo de bens e serviços de uma forma exponencial. E como bons portugueses que somos temos por tradição, bem enraizada, fazer as compras de natal sempre à última hora.
No entanto, algo aconteceu este ano, divulgou-se um estudo na comunicação social que referia que mais de 40% dos portugueses já tinham feito as compras de natal até à primeira semana de Dezembro.
Agora eu pergunto: será que este fenómeno é consequência das expectativas dos agentes em relação à possível subida da taxa de juros pelo BCE, antecipando assim o seu consumo para beneficiar das taxas anteriores a essa subida?

Coincidência ou não? ...

Fernando Saraiva disse...

A subida da taxa de juro decretada pelo Banco Central Europeu, na minha opinião será prejudicial para a economia portuguesa. Em Portugal o nível de endividamento das famílias está no seu limite máximo, logo esta subida apenas irá agravar a situação problemática em que muitos portugueses já se encontram.
É verdade que a subida das taxas, tem em conta a situação de crescimento económico verificada na zona euro, mas é também verdade que Portugal não está a acompanhar o ritmo deste crescimento, e os sinais de retoma não são ainda muito claros, logo, esta medida do Banco Central, apesar de se enquadrar numa lógica global da zona euro, será prejudicial para o nosso país.

joao santos disse...

Mais uma vez o BCE aumentou as taxas de juro da Zona Euro, colocando o preço do dinheiro cada vez mais elevado, e vendo a época do ano em que estamos, esta subida não é muito bem-vinda.
Visto esta subida pela perspectiva portuguesa, esta não é muito vantajosa, já que os portugueses se encontram bastante endividados, o que vai provocar uma diminuição do seu poder de compra, que por si só já não é muito elevado. Por outro lado, as famílias que pouparam vêem os seus retornos a subir consoante as taxas de juro.
Vamos verificar também, que este aumento vai influenciar tanto as expectativas como a tomada de decisões dos agentes económicos.
Vendo agora por uma perspectiva mais global, este aumento deve-se ao aumento do crescimento económico na Zona Euro em contraposição com o crescimento da economia americana, logo este aumento surge de modo a combater a inflação gerada pelo crescimento económico.
Mas como vamos ver este aumento das taxas de juro vai ter efeitos diferentes, variando de país para país da Zona euro, e como Portugal é um país fortemente endividado este aumento só vai provocar a redução do investimento e do consumo e o aumento da poupança.
Assim, como este aumento das taxas de juro está a influenciar o crescimento da economia portuguesa, deixo a questão:
Quando é que este aumento consecutivo das taxas de juro terá um fim?

Pedro Amorim de Brito disse...

Haverá um dia em que Banco Central Europeu terá que reformular a sua política monetária de credebilização da moeda Euro juntos dos agentes económicos, através de constantes aumentos da taxa de referência devido às pressões inflacionistas. Mas para quando? Um dia destes, é impossível contrair um simples empréstimo bancário, devido às elevadas taxas de juro praticadas..