Espaço de debate de temas de Economia Portuguesa e de outros que com esta se relacionam, numa perspectiva de desenvolvimento

terça-feira, dezembro 19, 2006

O contributo da Ciência para a Economia

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, assinou no dia 17 de Novembro, o protocolo para a construção do Laboratório Internacional de Nanotecnologia, isto a 500m do campus de Gualtar da Universidade do Minho.
Este laboratório será gerido conjuntamente entre Portugal e Espanha, e será aberto a especialistas de todo o mundo, visando construir-se como pólo internacional de excelência. Este projecto começará a construir-se já no início do próximo ano e terá uma dimensão de cerca de 200 investigadores.
O investimento inicial, para este laboratório será de 30 milhões de euros, aproximadamente e depois um orçamento anual do mesmo montante, isto só fará sentido se realmente na prática se provar que realmente este sector foi estratégigo.
A nanotecnologia lida com objectos de dimensão nanometros (cem mil vezes mais pequenos do que a espessura de um cabelo), o seu princípio básico é a construção de novos materiais a partir de átomos. Esta, pode ser vista como sendo a engenharia à escala atómica e molecular, podendo influenciar todos os sectores tecnológicos, mediadas de diagnóstico para a saúde, fármacos, tecnologias de informação, novas formas de produção.
O que é certo é que a nanotecnologia tem o potencial de mudar a Economia, haverá avanços no bem estar material das pessoas e saúde, prevê-se redução do impacto da actividade industrial sobre o planeta, quer pela produção de bens materiais duráveis como pela maior eficiência na utilização da energia.
Relativamente a este assunto José Sócrates, diz que já há muito que vem fazendo um esforço neste sentido, como prova “o Governo aumentou em 64% o orçamento disponível em 2007, para a área da Ciência, apesar de estar a reduzir a despesa do Estado”, José Sócrates.
Portanto, muito embora pensamos que cada vez vivemos num país que se vai deixando ficar para traz, cá está uma prova de esforço, sucesso ou não, ainda não sabemos, pois ainda existem apenas expectativas, mas acreditar isso sim ninguém nos pode tirar.

Clara Rosa

(doc. da série artigos de análise/opinião)

2 comentários:

S-Girl disse...

De facto em Portugal ainda muito à a fazer no que toca à introdução da inovação em várias áreas e a área económica não é excepção. É de louvar todo e qualquer passo no sentido da inovação principalmente se com isto se estiver a melhorar a qualidade de vida e/ou bem estar colectivo e pessoal. Embora as empresas digam que têm apostado na inovação o facto é que pouco tem sido feito realmente neste sentido. É importante ter em contacta e promover projectos que façam algo a favor da inovação.

Fátima Couto, nº40319

Anónimo disse...

O investimento na ciência é uma boa aposta do gooverno. Desenvolvimentos ao nível cienífico permitem aumentos ao nível da inivação, o que permitirá ao país produzir produtos tecnológicamente avançados, contribuíndo assim para que o país tenha um maior poder de mercado a nível internacional.
Então se a nanotecnologia permite diminuir a poluição e gerir melhor os recursos, então esta é uma aposta crucial para a melhoria do nosso planeta, que se encontra em declínio exponencial.
Portanto, é de louvar investimentos deste género, que permitem ao país desenvolver-se e assumir um papel importante a nível mundial.

Patrícia Alves